Ed Ferreira/AE
Ed Ferreira/AE

Marta nega toma lá da cá em convite para ministério

Senadora rebate tese de que indicação seria compensação por ter apoiado Haddad em SP

Rosa Costa, de O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2012 | 17h14

A senadora Marta Suplicy rebateu a tese de que o convite para assumir o Ministério da Cultura seria uma compensação por ter aceitado entrar na campanha do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. Marta agiu como se estivesse surpreendida com a sua designação para um ministério, apesar de o governo ter sinalizado a intenção no momento em que ela aceitou desistir da candidatura em SP em prol de Haddad. A senadora, que chegou a chamar a notícia "especulação de site", disse ter recebido o convite de Dilma para ocupar o posto por telefone, por volta das 15h40, quando encerrou a sessão do plenário do Senado por falta de quorum. Marta toma posse nesta quinta-feira, 13.

"Eu acabei de falar com a presidente e acabei de aceitar. O convite é meio surpreendente, mas eu sou do governo e estou à disposição do governo e se a presidente acha que eu devo exercer essa função no ministério, eu vou exercê-la, como exerci todas as funções da vida", afirmou, ainda no plenário. "O ministério é importante, é a identidade brasileira, é a cultura, sinto que é um enorme desafio".

Marta disse que vai chamar a ministra a que sucederá, Ana de Hollanda, para conversar e se inteirar dos programas da pasta. Sua posse está marcada para depois de amanhã, quinta-feira. "Estou feliz, estou contente, é muito prematuro fazer qualquer declaração, acabei de aceitar o convite, vou estudar, vou ter uma conversa com Ana de Hollanda", informou.

"Aceitei o convite e agora vamos trabalhar", destacou. A senadora disse que sempre se prontificou a apoiar Haddad. "Desde o começo eu disse que na hora em que fizesse diferença, eu entraria", contou, sem se referir às críticas que fez no Twitter tachando a escolha do candidato sem experiência política como sendo "um erro". "Vou continuar trabalhando, eu farei os comícios como combinei com ele, fiz carreata na sexta, no sábado...", disse.

O Ministério da Cultura é a segunda experiência de Marta Suplicy no Executivo federal. Em 2007, no início da segunda gestão de Lula, ela assumiu o Ministério do Turismo. Ficou na pasta pouco mais de um ano, de onde saiu para disputar a prefeitura de São Paulo, quando foi derrotada pelo atual prefeito, Gilberto Kassab (PSD), então do DEM, apoiado pelo candidato do PSDB à prefeitura, José Serra.

Tudo o que sabemos sobre:
ministériosCulturaMarta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.