Marta nega irregularidades em contratos de lixo em SP

A ex-prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, candidata pelo PT ao Senado, negou hoje irregularidades em contratos para serviços de coleta de lixo na capital em sua gestão (2001-2004). "Nada foi comprovado. Já tentaram de todo jeito provar algo errado e os contratos estão vigentes até hoje", disse, após participar de ato de campanha ao lado do candidato do PT ao governo do Estado, Aloizio Mercadante, em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo.

CAROLINA FREITAS, Agência Estado

10 Julho 2010 | 15h41

De acordo com reportagem publicada na edição de hoje do jornal Folha de S. Paulo, a Secretaria de Defesa Econômica, ligada ao Ministério da Justiça, vai investigar uma suspeita de cartel entre as empreiteiras que venceram uma concorrência da Prefeitura de São Paulo para o serviço de lixo em 2003. Haveria acertos prévios entre as concorrentes e direcionamento do edital por parte da Prefeitura.

De acordo com Marta, as suspeitas foram levantadas em uma auditoria encomendada por seu sucessor na Prefeitura, o tucano José Serra, que hoje concorre à Presidência. "Para justificar essa auditoria, Serra teve de diminuir 17% dos custos (dos gastos com limpeza urbana) e isso faz São Paulo estar nesse caos de lixo", acusou. "Foram retirados investimentos na coleta seletiva, em tecnologia dos veículos que recolhem lixo e na coleta em favelas. Esse foi o resultado da investigação", disse a ex-prefeita. "Cortaram 17% (de recursos) para tentar provar algo que não existiu e quem paga é a população de São Paulo, com ruas cada vez mais sujas."

Mais conteúdo sobre:
eleição PT Marta denúncia lixo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.