Marta não comenta pedido de prazo para pagar dívida de SP

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), não quis dar entrevistas, nem comentar o encontro de ontem com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Brasília. Derrotada nas urnas, Marta pediu a Lula que seja prorrogado, por um ano, o prazo para a Prefeitura pagar os cerca de R$ 7 bilhões para adequar a dívida do município com o governo federal aos parâmetros exigidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Pelas regras atuais, o prazo vence em maio de 2005.Ela fez na tarde desta quinta-feira uma visita à periferia da zona sul para agradecer e também se despedir da população da Capela do Socorro, onde teve uma votação expressiva nas eleições. Por uma hora, ela visitou duas creches e um centro odontológico inaugurados no período em que ficou afastada da Prefeitura para se dedicar à campanha."A alegria de estar com vocês é bastante grande. Eu vim aqui para dar a cada um de vocês o nosso muito obrigado e o nosso reconhecimento também pela expressiva votação aqui nessa área", afirmou a prefeita em um breve discurso, ao final da sua passagem pelo bairro. "Quero desejar a todos um bom final de ano e um bom Natal, porque, provavelmente não virei mais nesta região até o final do ano como prefeita."Esse foi o primeiro contato com a população desde que a prefeita encerrou a sua campanha à reeleição. Por onde passou, distribuiu abraços e apertos de mão e ouviu lamentos de moradores por causa da sua derrota. "Eu fiquei com pena porque você perdeu", disse a dona de casa Donata Vieira da Silva, de 58 anos. "A gente ficou também, mas a vida é assim", respondeu Marta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.