Marta liga Serra ao episódio dos ovos, citando a Mooca

A prefeita de São Paulo e candidata à reeleição, Marta Suplicy (PT), garantiu não ter dúvidas de que o episódio ocorrido ontem em Guaianazes, quando foi hostilizada por um grupo de camelôs, tem a ver com as eleições deste ano. Sem citar o nome do adversário, José Serra, candidato do PSDB neste pleito, afirmou: "Soubemos que foram pessoas do Centro e da Mooca, e lá era Guaianazes", disse, numa referência ao bairro onde Serra nasceu e foi criado, que é a Mooca.Para a prefeita, o episódio foi organizado e orquestrado. "Tenho certeza que tem relação com as eleições", voltou a dizer. Marta afirmou que já havia previsto que a campanha municipal deste ano seria sórdida. "Mas espero que não se desça ao nível que descemos ontem", desabafou, em rápida entrevista concedida na manhã após visitar o CEU Meninos, no Sacomã, ao lado do ex-primeiro-ministro francês Lionel Jospin.Apesar do incidente ocorrido ontem em Guaianazes, a prefeita disse que não pretende interromper sua agenda diária. "Não temo pela minha integridade física, estou tranqüila e a prefeita tem de andar no meio do povo", reiterou. Ela disse, também, que sempre enfrentou todas as situações e não é do seu perfil se esconder. "Vou continuar saindo, conversando com as pessoas, mas exigindo respeito que toda pessoa pública deve ter", frisou.Ao ser questionada sobre o desabafo que fez após o episódio ocorrido em Guaianazes, de que havia sido vítima dos demônios do passado, Marta riu e retrucou: "Isso (sobre quem seriam os demônios) dá para vocês (repórteres) descobrirem." A prefeita citou também que havia sido alertada pelo sub-prefeito de Guaianazes de que um grupo de 40 pessoas poderia protestar "democraticamente" durante a visita de ontem. "Porém o que vimos não foi nada disso", e voltou a dizer: "Foi um movimento orquestrado".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.