Marta elogia ampliação do bilhete único, mas critica Kassab

Candidata diz que medida beneficia quem mora longe e provoca: 'não precisava chegar tão perto da eleição'

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

17 de julho de 2008 | 20h14

A candidata do PT à Prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, alfinetou o prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), que anunciou  - a 81 dias das eleições - uma ampliação no sistema do Bilhete Único. "Não precisava chegar tão perto da eleição para incrementar o Bilhete Único", disse Marta em visita a comunidades da zona sul da cidade. Apesar da crítica ao prefeito, por acreditar que a medida já deveria ter sido tomada há mais tempo, a petista - que criou o sistema quando prefeita - disse que a decisão foi muito acertada, porque toda medida tomada para beneficiar a população, sobretudo a de regiões mais distantes que necessitam de um tempo maior para o Bilhete, é bem vinda.   Veja Também:  Conheça os candidatos nas principais capitais  Calendário eleitoral das eleições deste ano  Veja as regras para as eleições municipais Especial tira dúvidas do eleitor sobre as eleições   Para o candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, "cabe ao povo julgar se houve intenção eleitoreira". Ele acredita que a medida não mudará a opinião dos eleitores sobre a atual gestão da cidade. "A população tem já uma opinião formada. Isso não trará nenhuma mudança do ponto de vista eleitoral."   Kassab ampliou de duas horas para três horas o período de validade do cartão do Bilhete Único, usado por cerca de 6 milhões de paulistanos. Durante esse período, o usuário pode fazer quatro viagens de ônibus ou três viagens de ônibus mais uma de trem ou metrô. A medida começa a valer no dia 28.   O anúncio foi feito durante vistoria às obras do Terminal Varginha, na zona sul, compromisso da agenda oficial de prefeito de Kassab. O prefeito justificou a data de anúncio da novidade dizendo que ela só foi possível por causa de ações antifraude no sistema de transportes públicos. "O combate a fraudes gerou uma economia de R$ 120 milhões ao ano e este dinheiro pôde ser revertido em melhorias para a população", disse o prefeito.    

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.