Marta elogia ação das escolas contra a dengue

No dia "Dia D" de combate à dengue, realizado hoje em São Paulo, a prefeita Marta Suplicy, em visita à Escola Municipal Érico Veríssimo, na Freguesia do Ó, Zona Norte, constatou que o trabalho que vem sendo realizado nas escolas municipais, visando à conscientização dos alunos e da comunidade em geral, está dando bons resultados."Foi interessante observar que um cidadão, dono de uma borracharia, tomou todas as providências necessárias para evitar a proliferação do mosquito depois que seus filhos lhe mostraram o gibi de combate à dengue. Quando as escolas começam a trabalhar, o resultado é mais rápido, porque a criançada conscientizada é capaz de dar uma bronca nos pais", analisou.Ela afirmou que o governo municipal está fazendo sua parte na "guerra" contra o mosquito Aedys aegypt, servindo de modelo para outras cidades e estados brasileiros. "Fizemos o Dia D, a cartilha, a lei que multa pessoas que mantém viveiros de mosquitos em suas residências, mobilizamos as escolas, ou seja, todas essas ações estão servindo de exemplo para o Brasil. Estamos controlando a epidemia como nenhuma outra cidade", afirmou. "A prova disso é que, na semana passada, São Paulo teve dois casos de dengue. Se conseguirmos manter nesse nível, vamos evitar uma epidemia devastadora."A prefeitura também está providenciando uma máquina trituradora de pneus, onde é fácil o acúmulo de água. "O pneu é um produto de difícil destino, que não pode ser colocado em aterros por questões ambientais. Então vamos triturá-lo. Também estamos pensando na alternativa de entrar em acordo com a Associação Brasileira de Fabricantes de Pneus, a fim de que as fábricas recolham um a cada quatro pneus que são produzidos. A intenção é aumentar esse número sucessivamente do decorrer dos anos", explicou o secretário de Implementação das Subprefeituras, Jilmar Tatto. Como o valor de uma trituradora de pneus oscila em torno de R$ 300 a R$ 350 mil, a prefeitura estuda a possibilidade de alugar a máquina.No bairro da Freguesia do Ó foram distribuídos, hoje, aproximadamente 1,8 mil saquinhos de areia, para que a população deposite nos pratos de plantas, um dos grandes focos da doença. A Brasilit também participou da mobilização vendendo, a preço de custo, tampas para caixas d´água (R$ 7 para caixas de 500 litros, e R$ 10 para as de mil litros). No período de apenas duas horas foram vendidas mais de 50 tampas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.