Marta e Marinho deixam ministério para assumir candidaturas

Dois ministros deixarão a equipe dopresidente Luiz Inácio Lula da Silva. Marta Suplicy (Turismo) eLuiz Marinho (Previdência Social) vão concorrer às eleiçõesmunicipais de outubro pelo PT e entregam os cargos atéquinta-feira, data-limite para a desincompatibilização. Marta deve ser substituída por Luiz Eduardo Pereira BarretoFilho, atual secretário-executivo da pasta, levado ao Turismopela petista. Barreto teria o apoio dos empresários do setor deturismo. Fora do ministério, que assumiu em março do ano passado,Marta vai formalizar a candidatura à prefeitura de São Paulo nasexta-feira, em ato promovido pelo diretório municipal do PT naCasa de Portugal às 19h30. "O ato é de apoio da militância", disse o deputado estadualEnio Tatto (PT), um dos principais apoiadores da candidatura deMarta, que esteve à frente da cidade entre 2000 e 2004 e perdeua eleição há quatro anos. Marinho, que vai concorrer à prefeitura de São Bernardo doCampo, na Grande São Paulo, deixa a pasta na quarta-feira. "Amanhã (terça) é último dia dele no ministério", disse umassessor. O ex-líder sindical deve ser substituído pelo deputado JoséPimentel (PT-CE), que atuou na reforma da Previdência e noOrçamento da União. Carlos Gabas, secretário-executivo doMinistério da Previdência, também está cotado, segundo umafonte da pasta. A disputa pelo posto gerou nota do presidente do PT,deputado Ricardo Berzoini (SP), em que ele afirma não estartrabalhando pela nomeação de Gabas em detrimento de Pimentel,como chegou a ser ventilado. "Se o presidente Lula escolher entre esses doiscompanheiros, o governo estará muito bem servido, e o PT,representado com qualidade", afirmou Berzoini nestasegunda-feira. VICE Se não conseguir realizar alianças partidárias, como seavizinha, Marta deve sair com uma chapa "pura". O PT analisa para a vice o nome de um empresário filiado aopartido. Se não for possível, disputam a vaga os deputadosfederais Jilmar Tatto, José Eduardo Cardozo, Arlindo Chinaglia,Carlos Zaratini, além de Rui Falcão, deputado estadual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.