Marta e Alckmin lideram corrida eleitoral em SP, diz Ibope

Kassab aparece em 3º lugar; dos três, apenas Alckmin teve sua candidatura oficializada pelo partido

Maurício Savarese, da Reuters

03 de junho de 2008 | 14h50

A ministra do Turismo, Marta Suplicy (PT), e o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) lideram a disputa pela prefeitura de São Paulo em pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira, 3. O prefeito Gilberto Kassab  (DEM) aparece em um distante terceiro lugar. A sondagem foi encomendada ao Ibope pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Cargas de São Paulo e Região (Setcesp). Marta, que deve deixar o ministério até quinta-feira para concorrer às eleições de outubro, tem 30 % das inteções de voto, tecnicamente empatada com Alckmin, que recebeu 28 % . Kassab teve 13 % das indicações.   Veja Também: Ibope: Em SP, Marta e Alckmin lideram Veja o gráfico da pesquisa do Ibope  Aécio Neves diz que aliança com PT não é mais tão relevante Marinho pedirá a Lula para sair da Previdência Calendário eleitoral das eleições deste ano  Dos três, apenas Alckmin teve sua candidatura oficializada pelo partido. Marta deve formalizar a candidatura na próxima sexta-feira em ato público organizado pelo PT municipal, enquanto Kassab ainda é candidato informal. Todas as candidaturas ainda necessitam passar pelas convenções que se realizam até o final deste mês. O Ibope realizou 602 entrevistas entre os dias 27 e 29 de maio e o resultado tem margem de erro de 4 pontos percentuais. No mesmo cenário, Paulo Maluf (PP) teve 9 por cento das intenções, enquanto a deputada Luiza Erundina (PSB) e a vereadora Soninha Francini (PPS) receberam 3 por cento cada uma. Paulo Pereira da Silva, o Paulinho (PDT), teve 2 por cento e Ivan Valente (PSOL) e Zulaiê Cobra (PHS) tiveram 1 por cento cada. Em um eventual segundo turno, Alckmin bateria Marta por 50 por cento a 40 por cento. Se a disputa for com Kassab, a petista venceria por 47 por cento a 38 por cento. Pesquisa Datafolha divulgada em 18 de junho apontou Marta com 30 % das intenções, tecnicamente empatada com Alckmin, que teve 29 % e  Kassab ficou com 15 por cento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.