Marta diz que sonha ser presidente ''um dia''

Depois de garantir que quer ganhar a eleição para comandar São Paulo por dois mandatos, a candidata do PT à prefeitura, Marta Suplicy, admitiu ontem que sonha em ser "um dia" presidente do Brasil. Disse que "qualquer político" tem esse desejo, mas, para evitar confusão com o Planalto, insistiu que a preferida do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para a sucessão de 2010 é a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), a quem definiu como "muito preparada" para o cargo.Marta abriu um sorriso, porém, quando foi questionada, em sabatina promovida pelo jornal Folha de São Paulo, se sonhava em ocupar a Presidência algum dia. "Esse sonho a pessoa nunca pode jogar fora, mesmo que possa ser só sonho", disse. Pouco antes, ela havia demonstrado certa contrariedade com a insistência dos jornalistas em saber se concorreria à cadeira de Lula, daqui a dois anos, caso 90% dos eleitores manifestassem preferência por seu nome nas pesquisas."Gente, nem que fosse 100%!", exclamou. Falou, então, como se já tivesse conquistado a prefeitura. "Eu estou sendo eleita prefeita de São Paulo e meu partido tem uma candidata (ao Planalto)", resumiu, na tentativa de encerrar o assunto. Ex-ministra do Turismo, Marta disse que tudo indica o apoio "muito formal e explícito" do presidente a Dilma. Destacou que, além de preparada, a chefe da Casa Civil participa de "todas as grandes decisões" do governo.A candidata do PT evitou a polêmica em várias ocasiões. Ao ser lembrada que a vereadora Soninha Francine, concorrente do PPS, acusou o "toma-lá-dá-cá" na Câmara Municipal - em sabatina promovida pelo Estado, no último dia 5 -, Marta direcionou a artilharia para o prefeito Gilberto Kassab (DEM), que disputa a reeleição. "Se alguém está fazendo corrupção, alguém está corrompendo", provocou. Na campanha de 2000, porém, Marta constatou que havia "pelo menos 35 bandidos" na Câmara. "Eu nem lembrava que disse isso", comentou ela, rindo. "Deve ter sido na empolgação da campanha."Após a sabatina, a petista se reuniu com moradores do Jardim Jaqueline, no Butantã (zona oeste) e, confiante, disse que faltam poucos dias para a vitória. "Eu tenho certeza de que vou ganhar", afirmou, numa referência ao segundo turno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.