Marta diz que poderia ter ganho eleição, mas elogia Lula

A ministra da Cultura, Marta Suplicy, reconheceu que, após a vitória de Fernando Haddad para a Prefeitura de São Paulo, vai ser ainda mais difícil contrariar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dentro do PT. Marta afirmou que Lula teve "tirocínio político" ao escolher Haddad como candidato em vez dela própria. A ministra participa de audiência no Senado Federal.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

30 de outubro de 2012 | 11h21

"Acho que sempre foi muito difícil contrariar o presidente Lula. Não lembro de muita gente ter contrariado e, depois disso, as pessoas vão pensar duas vezes. A capacidade e a visão política que ele tem são muito grandes. Nós temos sorte no PT de termos um quadro fora do normal, ele reconstruiu o partido com esse gesto que fez", disse a ministra.

Ela afirmou que poderia ter vencido a eleição em São Paulo com mais facilidade que Haddad, mas afirmou que Lula acertou ao apostar na renovação do partido. "Eu acredito que o presidente Lula teve um tirocínio político raro. Ele foi realmente extraordinário. A escolha mais fácil era a minha e poderia ter ganho, talvez em uma situação mais fácil, mas ele escolheu a forma mais difícil, mas era a mais certa, a renovação".

A ministra afirmou que Lula teve "ousadia e coragem" e destacou que o PSDB, principal adversário, também iniciou um debate sobre renovação e aposta em novos quadros políticos.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012SPMarta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.