Marta diz na TV que Haddad vai 'recuperar tempo perdido'

Após aparecer num comercial veiculado na tarde desta quarta-feira durante a programação das emissoras de TV, a senadora Marta Suplicy (PT-SP) estreou nesta noite no programa eleitoral gratuito do candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. Num programa dedicado ao tema Habitação, Marta disse que Haddad vai fazer mais moradias na cidade porque hoje conta mais dinheiro no orçamento e porque contará com recursos do governo federal. "Com Haddad, São Paulo vai recuperar o tempo perdido", disse a senadora, na TV.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

05 de setembro de 2012 | 22h01

Marta, que foi prefeita da cidade entre 2001 e 2004, afirmou que construiu mais moradias em um único mandato do que o ex-prefeito e candidato tucano José Serra e seu sucessor Gilberto Kassab (PSD). "Em quatro anos construí mais moradias do que Serra e Kassab em quase oito anos", garantiu.

No programa, que contou com depoimentos de moradoras de favela e de área de risco, Haddad prometeu construir 55 mil novas moradias no município com financiamento do programa federal "Minha Casa Minha Vida". Ao defender o projeto petista, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o programa habitacional "é o mais amplo" dos projetos existentes e lamentou que a capital paulista não se beneficie dele. O programa de Haddad terminou com um jingle em ritmo de samba.

José Serra também destacou os projetos habitacionais desenvolvidos por ele quando foi prefeito e governador. "Serra já fez muito por nós", declarou uma moradora. O tucano voltou a explicar sua saída da Prefeitura em 2006 e, em seguida, o programa exibiu comentários de eleitores apoiando o candidato. "Eu confio no Serra e ele nunca me decepcionou", reforçou um eleitor. Além de fazer um resumo das realizações e das "marcas" de Serra pela cidade, o programa exibiu o depoimento do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que elogiou Serra, como "o administrador que sempre gostou de desafios". Assim como o PT, o programa tucano também terminou ao som de um jingle em ritmo de samba.

Celso Russomanno (PRB), líder nas pesquisas de intenção de voto, falou nesta quarta de transporte que, em sua opinião, "é de péssima qualidade" e "feito para carregar carga e não gente". Se eleito, o candidato do PRB prometeu melhorar a frota de ônibus. Já o peemedebista Gabriel Chalita dedicou o programa televisivo à questão da falta de creches e prometeu buscar recursos federais e estaduais para construir 1.200 unidades. "O meu compromisso é construir as creches que as crianças precisam", afirmou.

O candidato do PSOL, Carlos Giannazi, defendeu a extinção do Tribunal de Contas do Município (TCM) e mostrou o depoimento de apoio da vereadora de Maceió (AL) e ex-senadora Heloisa Helena. Outro que contou com depoimento de um colega de partido foi Paulo Pereira da Silva (PDT), que exibiu o pedido de voto do ministro do Trabalho, Brizola Neto.

Na TV, Soninha Francine (PPS) falou da dificuldade de mobilidade para idosos na cidade e defendeu a contratação de "ajudantes", que ficariam espalhados pelo município para o atendimento da população em geral. José Maria Eymael (PSDC) defendeu que a cidade "cuide melhor" de seus idosos. Miguel Manso (PPL) criticou o corte de investimentos em programas sociais. Anai Caproni (PCO) voltou a atacar a "especulação imobiliária" e a "administração despótica" do atual prefeito. Ana Luiza Figueiredo (PSTU) insistiu em ataques a Kassab, ao PT e ao PSDB. "Estão todos envolvidos em escândalos", acusou Ana Luiza. Levy Fidelix (PRTB) repetiu o programa onde questiona a validade das pesquisas de intenção de voto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.