Marta: ''Disputa é de propostas''

Ela diz ter recebido pesquisa ?com humildade e alegria?

Clarissa Oliveira, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2008 | 00h00

Apontada pelas pesquisas como líder da disputa municipal, a ex-ministra Marta Suplicy (PT) abriu a campanha com a agenda leve e o discurso ameno. Resistindo a provocações de jornalistas para que atacasse adversários, ela limitou-se a comemorar os 38% obtidos no levantamento do Datafolha e a dizer que a campanha será propositiva. "A disputa que espero é de propostas. É isso que vai nos levar à vitória", disse Marta, que teve como único evento a participação na Festa das Nações, organizada pela comunidade de Ermelino Matarazzo. Com ela, estavam deputados, vereadores, o ex-marido e senador Eduardo Suplicy (PT-SP), e o candidato a vice, deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP).Ao comentar a pesquisa, ela disse ter recebido os resultados "com muita humildade, alegria e vontade de trabalhar". "Me deu muito ânimo para continuar a estudar a cidade, trazer propostas." Nem a afirmação de que o prefeito Gilberto Kassab (DEM) colocará os ataques à gestão petista no centro da estratégia a fez revidar: "Você não escolhe adversário numa campanha. Acho mais inteligente fazer propostas."Marta disse ainda que continuará contando com o apoio de ministros para desenhar suas propostas. Nomes como Dilma Rousseff (Casa Civil) e Tarso Genro (Justiça) já participaram de seminários organizados pelo PT em São Paulo. Apesar de a campanha só ter começado ontem, o comportamento de Marta mudou pouco em relação às últimas semanas, quando teve uma intensa agenda de rua. Ela poderia pedir votos, mas o fez poucas vezes.Caminhou pelas barracas, posou para fotos com crianças, cozinhou e experimentou comidas típicas. Em uma delas, comprou uma boneca para a neta. Em outra, comprou uma rifa e prometeu, se ganhar, doar à comunidade o carro sorteado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.