Marta depende do PSB para fechar com o 'bloquinho'

Após semanas de empenho para vencer a resistência do deputado Aldo Rebelo (PC do B) e fechar aliança com o bloquinho no Congresso, o PT agora terá de convencer o PSB a endossar a candidatura da ex-ministra Marta Suplicy em São Paulo. Entre os quatro membros do grupo, os socialistas são o maior foco de resistência.Ontem, PSB, PC do B, PDT e PRB reuniram-se com o PT municipal. O PSB foi o único a manter o tom de reivindicação. ?Não estamos nos sentindo confortáveis nessa situação?, disse o presidente local da sigla, vereador Eliseu Gabriel. O partido ameaça apoiar Soninha Francine (PPS). A união com o bloco dará a Marta quase 7 minutos na propaganda eleitoral gratuita. O PT, sozinho, tem cerca de 4 minutos.Uma das queixas do PSB diz respeito ao impasse em Belo Horizonte. Socialistas querem que o PT retire o veto à aliança com o PSDB. ?Não é tudo, mas ajudaria. Por que só a gente tem de ceder??, indagou Gabriel. Dirigentes dos outros partidos do bloco diziam ontem que a aliança tende a ser oficializada na terça-feira, em nova reunião com o PT. ?O acordo está fechado, mas falta resolver algumas pendências?, disse o presidente municipal do PDT, Cláudio Prado. ?Acho que a tendência é realmente esta?, emendou a presidente do PC do B, Júlia Roland. Otimista, o presidente do PT municipal, José Américo, disse que a reivindicação do PSB é ?natural em uma negociação?. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.