Marta consegue suspender processo movido por Maluf

A prefeita Marta Suplicy (PT-SP) conseguiu suspender nesta sexta-feira no Supremo Tribunal Federal (STF) a ação movida contra ela pelo ex-governador Paulo Maluf (PPB-SP). Com isso, ela não terá de comparecer a um interrogatório marcado paraterça-feira na Justiça de São Paulo sobre o processo. As decisões, liminares, foram dadas pelo ministro Maurício Corrêa. Baseado em notícias publicadas na imprensa em 2000, Maluf reclamou que foi ofendido pela prefeita. Marta teria chamado o ex-governador de ?nefasto? e teria sugerido que ele mantinha uma conta bancária no exterior junto com o ex-prefeito Celso Pitta.Os advogados da prefeita afirmaram no pedido que a ação deve ser trancada porque não é possível imputar um crime a Marta já que as declarações foram divulgadas em um contexto eleitoral.Maurício Corrêa deu sinais de que pode concordar com essa avaliação. ?As declarações atribuídas à paciente tiveram origem em comentários a acusações feitas por terceiro ao ofendido o que, de par com o evidente contexto de embate político em que inseridas, podem, em tese, descaracterizar a prática delituosa de acusada?, afirmou o ministro. Ele observou que a realização do interrogatório poderia causar prejuízos à prefeita ?em face de sua natural repercussão política?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.