Marta atribui Ibope a mulheres e comparação com Kassab

Apesar da pesquisa, candidata do PT declarou ainda que trabalha com a realização dos dois turnos da eleição

REUTERS

19 de agosto de 2008 | 15h50

Na véspera da estréia da propaganda eleitoral na TV, a candidata Marta Suplicy  (PT) afirmou que seu desempenho na pesquisa Ibope, com 15 pontos acima do adversário Geraldo Alckmin (PSDB), se deve ao aumento da preferência da classe média e das mulheres, além da comparação de sua gestão (2001-2004) com a do prefeito Gilberto Kassab(DEM).  Veja também: Veja especial multimídia com o perfil dos candidatos  Veja o guia do eleitor  Você vai acompanhar o horário eleitoral para definir seu candidato  "Uma porcentagem, sim (da classe média). Eu achei também muito interessante, uma porcentagem bastante acentuada de mulheres (na pesquisa). Me deu muito prazer porque acredito que a vida inteira me empenhei muito na defesa dos direitos da mulher. Me deixou muito satisfeita", afirmou Marta a jornalistas após reunião com dirigentes da Federação Paulista de Futebol. O encontro teve como tema principal os preparativos para a Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil e deve ter a cidade de São Paulo como uma das sedes. A classe média é apontada como responsável, em grande medida, por sua derrota na tentativa de reeleição de 2004. Marta acredita também que a liderança na pesquisa é fruto de comparação. "Há uma boa lembrança da nossa gestão, apesar dos erros, das dificuldades. A população está percebendo que nós administramos com 15 bilhões de reais e hoje tem 10 bilhões de reais a mais (no orçamento da prefeitura)", disse. "E o que está sendo feito com 10 bilhões a mais com qualidade para as pessoas?" Questionada se este desempenho vai levar a um crescimento nos ataques por parte dos adversários, Marta, num primeiro momento, disse que "tem que esperar para ver o que acontece". Em seguida, ao afirmar que não compareceria a um debate programado pela TV Gazeta, que acabou cancelado, afirmou que "ataque vai ser todo dia". A campanha de Kassab deve centrar as críticas na ex-prefeita, comparando os dois desempenhos, e, ao mesmo inicialmente, poupar Alckmin, cujo partido, o PSDB, faz parte da atual gestão. Marta declarou ainda que trabalha com a realização dos dois turnos da eleição e que entende que os simpatizantes torçam para a vitória no primeiro turno. BRASIL X ARGENTINA A vista de Marta junto aos dirigentes de clubes de futebol foi realizada logo após a partida em que o Brasil perdeu para a Argentina, na Olimpíada de Pequim. "É animador falar aqui em um momento em que o Brasil está jogando", disse Marta ao abrir o discurso. Assim que ficou sabendo do resultado de 3 x 0 para a Argentina repetiu "Que animador, né?", mas em tom de lamentação. Durante a entrevista, voltou ao jogo: "Dia triste, acho que está todo mundo muito chateado com o que aconteceu." E remeteu o resultado a sua vida pessoal: "Eu tenho um argentino em casa", referindo-se a Luis Favre, seu marido. (Reportagem de Carmen Munari)

Tudo o que sabemos sobre:
ELEICOESSPMARTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.