Marta articula encontro entre Blair e Lula

A prefeita de São Paulo, Marta Suplicy (PT), disse, após encontro com o premiê britânico Tony Blair, acreditar que o político inglês deixa São Paulo com uma "visão positiva do Partido dos Trabalhadores". Marta esteve reunida reservadamente com Blair durante cerca de 15 minutos antes que participassem de um almoço no Centro Brasileiro Britânico, no qual também esteve presente o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e outros políticos e empresários brasileiros e britânicos.A prefeita disse ter conversado com Blair sobre política internacional e perguntou ao premiê sobre a possibilidade de ele se reunir com o presidente de honra e presidenciável do PT, Luiz Inácio Lula da Silva. "Ele se disse disposto a recebê-lo em outubro, quando Lula for à França", afirmou. "E eu vou ser a articuladora desse encontro."A prefeita afirmou ainda que Blair perguntou sobre a sucessão presidencial, e o que ela achava do governo Fernando Henrique Cardoso. "Perguntou também o que eu achava que poderia ser diferente em um governo petista, e quem tinha mais chance de ganhar as eleições."Blair perguntou ainda se, caso vença as eleições, o PT se recusaria a aceitar o capital estrangeiro. "De jeito nenhum. O que as prefeituras mais fazem é procurar o capital estrangeiro", respondeu Marta. Segundo Marta, Blair recomendou que os governos de esquerda do País façam como ele, ou seja, procurar atrair o capital.Marta afirmou também que "monopolizou" o encontro com Blair e que foi a convite do governo britânico que esteve presente ao almoço. Sobre o fato de a reunião em separado com o premiê não ter sido divulgada na agenda oficial do Itamaraty, Marta disse. "Foi feio". De bonito, para ela, só o próprio ministro. "Ele é muito charmoso", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.