Marta aproveita guerra entre adversários

Petista diz que briga de Alckmin e Kassab desagrada à população e se considera a candidata ?mais tranqüila?

Clarissa Oliveira, O Estadao de S.Paulo

24 de setembro de 2008 | 00h00

Sem esconder a satisfação ao dizer que já está no segundo turno, a petista Marta Suplicy afirmou ontem que a briga cada vez mais intensa travada entre o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) e o prefeito Gilberto Kassab (DEM) está incomodando o eleitorado. "A população está achando muito desagradável esse comportamento", afirmou, em meio a mais uma série de visitas ao comércio, desta vez na zona sul da cidade, um de seus redutos eleitorais. "Eles se destroem e não colocam o que a população gostaria de ouvir", disse. Dizendo-se a "mais tranqüila" de todos os candidatos, Marta acrescentou que a situação começa a ficar "pesada" para os dois adversários. Confiante, ressaltou que já conseguiu consolidar sua liderança na disputa e, agora, pode apenas observar os rivais disputarem a segunda vaga. "Eu só vejo os dois brigando e a população esperando por propostas. Eu estou fazendo a minha campanha supertranqüila e não saio do lugar em que estou", provocou a petista, que costuma atribuir sua liderança nas pesquisas ao fato de centrar seu discurso em idéias para a cidade. "A população não é boba. Ela vai acompanhando e está vendo que o resultado disso não vai ser bom para São Paulo." Durante todas as atividades de sua agenda de campanha, Marta manteve o tom confiante. Ao caminhar pelo comércio na região do Capão Redondo, posou para fotos, chegou a dançar na calçada e ignorou um grupo de adolescentes que gritava ao lado "Vota no Kassab" e "Vota no Maluf", em referência ao atual prefeito e ao também candidato Paulo Maluf (PP). ?UNIÃO?Pouco depois de criticar a briga entre DEM e PSDB, Marta aproveitou um pequeno comício na divisa com os municípios de Embu e Itapecerica da Serra para destacar a "união" dos partidos que integram sua coligação. "O PT e os partidos coligados fazem uma campanha para ninguém botar defeito", afirmou, para uma platéia de algumas dezenas de pessoas que encararam uma chuva fina na região do Valo Velho. A candidata do PT tem o apoio de PSB, PC do B, PRB, PDT e PTN.No discurso, Marta voltou a destacar propostas como o Bilhete Único Metropolitano e a oferta gratuita de acesso à internet banda larga. Além disso, afirmou que trabalhará para reduzir ao máximo o déficit nas creches da cidade, com projetos como o ProCriança. A proposta, incluída no programa da petista, pretende replicar o modelo do ProUni do governo federal, com a oferta de vagas na rede particular. Em meio ao discurso, Marta não perdeu a oportunidade de colar mais uma vez no presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que esteve em São Paulo no fim de semana para mais um comício da campanha do PT em São Paulo. "São promessas de quem já fez e de quem está junto com o nosso querido presidente Lula."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.