Daniel Teixeira/AE - 07.08.2011
Daniel Teixeira/AE - 07.08.2011

Marta ainda está distante da pré-campanha de Haddad

Sem esconder frustração por ficar de fora da disputa pela Prefeitura de SP, senadora deve faltar ao primeiro encontro político da candidatura do petista

Daiene Cardoso, da Agência Estado

27 de janeiro de 2012 | 09h03

SÃO PAULO - Uma das ausências mais notadas na despedida do petista Fernando Haddad do Ministério da Educação na terça-feira, 24, em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, a senadora Marta Suplicy (PT-SP) não deve participar neste sábado, 28, também da reunião do Conselho Político da pré-campanha do ex-ministro à Prefeitura de São Paulo. Mesmo sendo membro do grupo criado para discutir as estratégias dessa campanha, a senadora, que está em férias fora da capital paulista, também não apareceu em nenhum dos dois encontros anteriores. "Problema de agenda, foi o que ela nos informou", justificou o presidente do diretório municipal, vereador Antonio Donato.

Segundo a assessoria de imprensa da senadora, Marta só voltará à atividade política na segunda-feira, 30. Assim como os outros 26 membros do conselho, Marta foi informada sobre a reunião, porém não confirmou presença. "Ela vai colaborar com a campanha, mas evidentemente ela tem a agenda dela", desconversou Donato. A petista, que administrou a cidade de 2001 a 2004, é apontada nos bastidores como um dos cabos eleitorais fundamentais para a eleição de Haddad.

O encontro deste sábado será o primeiro compromisso de Haddad na condição de ex-ministro da Educação. A pauta central do evento será a proposta de aliança com o PSD do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Para Antonio Donato, a ausência de Marta neste encontro não deverá prejudicar as discussões. "A aliança não vai se definir agora. O encontro será só uma reflexão", argumentou.

Nos últimos dias, a petista tem evitado o contato com a imprensa e ainda não se posicionou publicamente sobre a iniciativa de Kassab, em tentar fechar acordo com o PT. Marta se mantém distante também das discussões de seu partido quanto à troca do comando na vice-presidência do Senado, objeto de impasse interno, porque ela resiste ao cumprimento do acordo firmado em fevereiro do ano passado para ceder a vice-presidência ao colega José Pimentel (PT-CE).

Ao deixar a cerimônia no Palácio do Planalto, na terça, Haddad minimizou a ausência da senadora na cerimônia de transmissão de cargo para Aloizio Mercadante. "É uma ilusão imaginar que a Marta estará ausente da campanha. Quem a conhece sabe que, no devido momento, ela vai mergulhar de cabeça. É uma pessoa que sabe da importância do nosso projeto de reconquistar a Prefeitura, inclusive para resgatar bandeiras caras à sua administração", disse Haddad. Em novembro passado, Marta foi pressionada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pela presidente Dilma Rousseff a desistir da candidatura em favor de Haddad e até hoje não faz questão de esconder sua frustração.

Mais conteúdo sobre:
Eleições 2012HaddadMarta

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.