Reprodução
Reprodução

Mario Simas Filho, diretor e colunista da 'IstoÉ', morre em SP

Autor de reportagens premiadas, jornalista lutava há anos contra um câncer no rim; sepultamento será no Cemitério Gethsemani

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de janeiro de 2020 | 10h14

O jornalista Mario Simas Filho, de 59 anos, morreu em São Paulo na madrugada desta sexta-feira, 17, vítima de um câncer no rim. Com passagem por vários veículos de imprensa, Mario atualmente era diretor de núcleo e colunista da revista IstoÉ. O velório é realizado no Cemitério Gethsemani, no Morumbi, e o sepultamento está marcado para às 15h30.

Ao longo da carreira, teve passagens pela extinta Folha da Tarde e pela Folha de S.Paulo. Na Isto É, Mario participou da reportagens de destaque, como a que revelou o assassinato, e não o suicídio de PC Farias, aliado do ex-presidente Fernando Collor.

Já pela série "Senadores envolvidos na fraude do painel de votação do Senado", o jornalista venceu, com outros colegas da revista, o Prêmio Esso de Jornalismo em 2001, então o principal da categoria.

O jornalista era filho do advogado Mario Simas, especializado em Direitos Humanos e que defendeu ativistas políticos durante a ditadura militar no Brasil. Mario Simas Filho deixa mulher, três filhos e dois netos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.