Marinho quer conversar com Kassab sobre aproximação

Após o desfile da escola Tom Maior, que homenageou a cidade de São Bernardo do Campo, o prefeito do município, Luiz Marinho (PT), foi na companhia dos seus assessores para o camarote da Prefeitura da São Paulo, no Sambódromo do Anhembi, na capital paulista.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

05 de março de 2011 | 04h39

Marinho esperava encontrar o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, mas quando chegou o democrata e o tucano Geraldo Alckmin, governador do Estado, não estavam mais no local. Ele contou que pretende encontrar Kassab nos próximos dias para conversar sobre a aproximação do prefeito com a base aliada da presidente Dilma Rousseff. "Quero apurar melhor se essa aproximação é para valer ou se é circunstancial. É evidente que tem um ponto de interrogação sobre o Kassab e qual aliança ele deseja para 2014".

De acordo com o prefeito de São Bernardo, Kassab será bem vindo à base aliada, e não há problema de tê-lo como novo aliado. "Precisamos interagir", disse Marinho. O prefeito da cidade do ABC ainda ironizou sobre a possível saída de Kassab do DEM. "O fato dele sair do DEM já é um avanço porque ninguém merece o DEM".

O vice-prefeito de São Bernardo do Campo, Frank Aguiar, que desfilou na noite de hoje pela Tom Maior no carro que trazia os amigos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, lamentou a ausência de Lula. "Se ele tivesse ido, seria um gol", disse.

Após o desfile da agremiação, Aguiar se juntou ao prefeito Marinho no camarote da prefeitura. "Lula teria ajudado mais a escola se tivesse aqui", disse Marinho. "Ele tem vontade de fazer muita coisa, mas ia criar um tumulto danado (se fosse ao sambódromo)", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.