Marinho quer conversar com Kassab sobre aproximação

Após o desfile da escola Tom Maior, que homenageou a cidade de São Bernardo do Campo, o prefeito do município, Luiz Marinho (PT), foi na companhia dos seus assessores para o camarote da Prefeitura da São Paulo, no Sambódromo do Anhembi, na capital paulista.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

05 de março de 2011 | 04h39

Marinho esperava encontrar o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, mas quando chegou o democrata e o tucano Geraldo Alckmin, governador do Estado, não estavam mais no local. Ele contou que pretende encontrar Kassab nos próximos dias para conversar sobre a aproximação do prefeito com a base aliada da presidente Dilma Rousseff. "Quero apurar melhor se essa aproximação é para valer ou se é circunstancial. É evidente que tem um ponto de interrogação sobre o Kassab e qual aliança ele deseja para 2014".

De acordo com o prefeito de São Bernardo, Kassab será bem vindo à base aliada, e não há problema de tê-lo como novo aliado. "Precisamos interagir", disse Marinho. O prefeito da cidade do ABC ainda ironizou sobre a possível saída de Kassab do DEM. "O fato dele sair do DEM já é um avanço porque ninguém merece o DEM".

O vice-prefeito de São Bernardo do Campo, Frank Aguiar, que desfilou na noite de hoje pela Tom Maior no carro que trazia os amigos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, lamentou a ausência de Lula. "Se ele tivesse ido, seria um gol", disse.

Após o desfile da agremiação, Aguiar se juntou ao prefeito Marinho no camarote da prefeitura. "Lula teria ajudado mais a escola se tivesse aqui", disse Marinho. "Ele tem vontade de fazer muita coisa, mas ia criar um tumulto danado (se fosse ao sambódromo)", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.