Marinho pedirá amanhã a Lula para sair da Previdência

O ministro da Previdência Social, Luiz Marinho, informou que terá amanhã uma conversa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva para ser liberado do cargo e poder ser candidato a prefeito de São Bernardo do Campo (SP). "Friso que sairei na condição de pré-candidato, porque, candidato, somente após a convenção partidária", disse Marinho, dirigindo-se ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Carlos Ayres Britto, que também estava dando entrevista.Brincando, Marinho disse que não poderia "cometer gafes eleitorais" ao lado do presidente do TSE, que assinou com Marinho, no Ministério da Previdência, um convênio autorizando o tribunal e o ministério a trocarem informações sobre os eleitores e os segurados do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).Ayres Britto destacou que o convênio permitirá melhor fiscalização dos recursos públicos e combate a fraudes, já que a Previdência será informada automaticamente, por exemplo, quando um eleitor faltar a três eleições seguidas sem se justificar, o que pode ser um indício de que esse eleitor já teria morrido. Pelo convênio, as informações do tribunal sobre segurados que tiveram benefícios cancelados por morte estarão disponíveis também para a Previdência, que, assim, poderá cancelar o pagamento da pensão ou aposentadoria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.