Marinho mira 2010 com equipe de estrelas

Ex-presidente da Caixa está entre nomeados por petista em S. Bernardo

Joaquim Alessi, SÃO BERNARDO DO CAMPO, O Estadao de S.Paulo

17 de dezembro de 2008 | 00h00

O anúncio de nomes que já ocuparam postos nos governos federal e estadual para compor o secretariado de São Bernardo do Campo, a partir de janeiro, reforçou ontem as suspeitas de que o prefeito eleito, o ex-ministro do Trabalho e da Previdência Luiz Marinho (PT), prepara vôos mais altos para 2010, como a disputa pelo Palácio dos Bandeirantes.O projeto político ficou mais delineado com o anúncio de nomes como o do ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso para a pasta de Finanças. Mattoso deixou a Caixa acusado - assim como o então ministro da Fazenda, Antonio Palocci - de envolvimento na quebra de sigilo do caseiro Francenildo dos Santos Costa, em 2006. O ouvidor da Polícia Militar no governo Mário Covas (PSDB), Benedito Mariano, cuidará da Segurança Urbana em São Bernardo do Campo. Ao todo, o prefeito eleito anunciou os titulares de 16 pastas.Além de Mattoso e Mariano, compõem a equipe de Marinho o ator e diretor teatral Celso Frateschi, ex-secretário de Marta Suplicy (PT) em São Paulo e presidente da Funarte, na pasta de Cultura; Nadia Somekh (Planejamento Urbano), ex-presidente da Empresa Municipal de Urbanização de São Paulo (Emurb); e Valter Correia da Silva (Administração), presidente da Empresa Gestora de Ativos (Emgea), vinculada ao Ministério da Fazenda.FRANK AGUIARMarinho tem outra questão a explicar para o eleitorado. Nos bastidores, é tido como certo que o vice-prefeito eleito, deputado Frank Aguiar (PTB), vai renunciar ao posto para continuar na Câmara. Graças à presença constante na mídia, Aguiar foi fundamental para a vitória de Marinho, já que o PT não vencia na cidade havia 20 anos. O deputado admite que pode abdicar do cargo, a pedido do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de Marinho. Considera que seria mais importante para a cidade no Congresso. Entre políticos ligados ao PTB, os comentários são de que ele estaria descontente por não ter participado da escolha do secretariado. Assim, o forrozeiro prefere tocar seus passos em Brasília, onde tem mandato, a passar quatro anos em expectativa, como vice-prefeito.NEGATIVAMarinho nega de forma veemente que pense em concorrer à sucessão do governador José Serra (PSDB) em 2010. "Já disse e repito que fui eleito para administrar São Bernardo, que precisa muito do nosso trabalho, e não serei candidato a governador em 2010", disse ele, sem negar, contudo, que o secretariado tenha perfil para atuar no governo do Estado."Foi um trabalho intenso escolher esses nomes, para aliar competência técnica à afinidade política", explicou o prefeito eleito, que também revelou ter feito um teste de fidelidade com os escolhidos, razão pela qual demorou a fazer o anúncio. "Fiz um teste para ver se eles tinham capacidade de guardar sigilo, pois se um profissional não tem capacidade de guardar sigilo, não faz parte da minha equipe de trabalho."Marinho ainda não definiu os titulares de secretarias importantes, como as de Obras e Desenvolvimento Econômico. O prefeito busca nomes com perfil técnico e trânsito junto ao governo do Estado e o federal. "Procurei, por exemplo, para a Habitação, alguém que saiba o caminho na Caixa Econômica Federal para obter recursos de forma muito mais fácil", explicou. Para essa pasta será nomeada Tássia Regino, ex-consultora do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para projetos nas Prefeituras de Curitiba e Aracaju, além de ter comandado o Instituto de Desenvolvimento Habitacional do Distrito Federal, no governo Cristovam Buarque. FRASESLuiz MarinhoPrefeito eleito de São Bernardo do Campo"Já disse e repito que fui eleito para administrar a cidade de São Bernardo, que precisa muito do nosso trabalho, e não serei candidato a governador em 2010""Foi um trabalho intenso escolher esses nomes, para aliar competência técnica à afinidade política""Procurei, por exemplo, para a Habitação, alguém que saiba o caminho na Caixa Econômica Federal para obter recursos de forma muito mais fácil"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.