Marinho e ministros pedem pressa para votação do mínimo

O ministro do Trabalho, Luiz Marinho, afirmou que ele e os demais ministros, que entregaram hoje aos presidentes da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-A), o projeto de lei que reajusta o valor do salário mínimo para R$ 350,00, pediram que o Congresso aprove a iniciativa em tempo hábil para que o novo mínimo entre em vigor em abril.Segundo Marinho, se isso não ocorrer, o governo vai retirar o projeto e editar uma medida provisória para cumprir o acordo fechado com as centrais sindicais em torno do mínimo.O ministro informou que o presidente do Senado manifestou disposição de acelerar a tramitação do projeto e disse que faria um esforço para aprová-lo ainda no período de convocação extraordinária. Essa hipótese, no entanto, é remota porque falta apenas uma semana para encerramento da convocação.Questionado sobre como o governo lidaria com um eventual aumento do mínimo para além do limite acordado com as centrais, Marinho disse que não veria problema, desde que o Congresso encontre fontes para financiar um reajuste maior. Ponderou, no entanto, que acha difícil isso ocorrer.O ministro do Trabalho destacou que o valor de R$ 350,00 foi fruto de uma negociação "única", que possibilitou a recuperação do mínimo para seu valor de 25 anos, assim como a recuperação do poder de compra em relação à cesta básica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.