Marina volta a defender legalidade da demarcação da Raposa

'Podemos plantar arroz em qualquer terra fértil', diz ex-ministra sobre retirada de arrozeiros da reserva

Agência Brasil

10 de junho de 2008 | 16h38

A ex-ministra do Meio Ambiente senadora Marina Silva (PT-AC) defendeu nesta terça-feira, 10, a manutenção da área da Terra Indígena Raposa Serra do Sol. Segundo ela, o Brasil está diante de uma interpelação étnica sobre qual postura adotar em relação aos povos indígenas. "O nosso futuro deve comportar civilizadamente a possibilidade de que esses povos possam se reproduzir de acordo com suas condições sociais e materiais".   Veja também: Derrota no STF pode causar mais violência em Roraima, diz líder indígena  Saiba onde fica a reserva e entenda o conflito na região  Galeria de fotos da Raposa Serra do Sol   Marina afirmou ainda, durante discurso na audiência do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, que os arrozeiros têm a garantia legal de ser indenizados pelas terras. Por outro lado, não há como recuperar a herança cultural dos povos indígenas.   "Podemos plantar arroz em qualquer terra fértil. Agora uma cultura que acha que o mundo foi criado a partir do Monte Roraima só existe ali".   Segundo ela, em 500 anos de história, o Brasil dizimou um milhão de índios por século. Hoje, de acordo a parlamentar, restam um pouco mais de 500 mil índios espalhados pelo país. "Nem o povo judeu sofreu genocídio dessa magnitude", comparou.

Tudo o que sabemos sobre:
Raposa Serra do SolMarina Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.