Marina vê 'avanço econômico' e 'retrocesso político' na era Lula

Em campanha no RS, candidata do PV conversou com jornalistas

Lucas Azevedo,

19 de setembro de 2010 | 18h37

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, esteve neste domingo em campanha pelo Rio Grande do Sul. Pela manhã, Marina visitou o Acampamento Farroupilha, em Porto Alegre. Em seguida, passeou pelo Brique da Redenção, antes de viajar para o Sul do Estado.

 

A chegada de Marina ao Acampamento Farroupilha, tradicional encontro anual de cultura gauchesca, atrasou. Marcada para as 9h, a candidata chegou ao evento apenas às 11h15min. Esperada por cerca de 200 cabos eleitorais, Marina, que inicialmente iria circular pelo evento em uma charrete, preferiu ir a pé, acompanhada pelo nome do partido ao governo gaúcho, Montserrat Martins, e de candidatos da legenda a deputados estaduais, federais e senadores da legenda.

 

Com dificuldade devido ao grande número de curiosos, Marina ingressou no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, local do acampamento. Dentro de um piquete - galpão em que os tradicionalistas se reúnem - Marina falou com os repórteres. Ela voltou a dizer que acredita chegar ao segundo turno para disputar a eleição com Dilma Rousseff (PT). "O que existe nas ruas é muito maior do que mostram as pesquisas. É um movimento que vai nos levar ao segundo turno", afirmou.

 

Recebida no local ao som do hino rio-grandense entoado por gaúchos com vestimentas típicas, Marina emendou em sua fala o principal dia do calendário gaúcho, a Revolução Farroupilha, comemorada em 20 de setembro. "Tivemos (no governo Lula) avanço econômico e social, que precisam ser mantidos. Mas temos um retrocesso na política. Precisamos de um avanço no qual os ideais republicanos da Revolução Farroupilha sejam tomados no coração de todos os brasileiros."

 

Questionada por jornalistas, Marina voltou a comentar os últimos escândalos envolvendo os vazamentos de dados da Receita Federal e o caso Erenice Guerra. "Vou manter a política social e a política econômica no tripé. Mas em nome desses acertos, não vou ser complacente com os erros. Se Deus quiser, a sucessora do presidente Lula será Marina Silva. Para que não seja preciso mudar o sobrenome. Basta mudar a maneira de caminhar."

No início da tarde, Marina visitou o Brique da Redenção, no Parque Farroupilha, na zona central de Porto Alegre. Lá, falou com eleitores e posou para fotos, inclusive com indígenas que vendem artesanato, dos quais chegou a comprar um animal de madeira.

 

Por volta das 13h30min, a candidata deixou o parque e iniciou sua viagem à Região Sul do Estado, onde inauguraria uma Casa de Marina na cidade de Pelotas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.