Marina Silva quer ser candidata à Presidência

Senadora não tem medo de perder o mandato, caso o PT exija a vaga para o partido

João Domingos, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2009 | 14h38

 

A senadora Marina Silva (PT-AC) ainda não respondeu ao convite do PV para se candidatar à Presidência pelo partido em 2010, mas numa entrevista coletiva concedida nesta terça-feira, 11, em seu gabinete, deixou claro que pretende mesmo disputar a sucessão de Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Veja Também

linkPT divulga carta pedindo que Marina continue no partido

linkCiro reitera intenção de se candidatar à Presidência

linkMarina e Suplicy podem assinar carta contra Sarney

linkMarina Silva faz Ciro rever planos para as eleições de 2010

linkGilberto Gil nega convite para posto de vice na chapa

 

Indagada se não tinha medo de perder o mandato de senadora, caso mude para o PV, e o PT exigir a vaga para o partido, Marina foi firme e categórica na resposta: "Quando falo de algo da magnitude do que estou fazendo, não seria o medo da perda do mandato que me faria desistir do que acredito e do que defendo. O mandato é uma honra que recebi do povo acreano. O cálculo político apequena o debate".

 

Outro indicativo da disposição de Marina está na resposta que ela deu à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, candidata a presidente pelo PT, que fez um apelo para que não saia do partido: "Fiquei sabendo que ela fez um apelo e disse que me entende. Afinal, ela saiu do PDT para ir para o PT e sabe como é isso."

 

Marina disse que está analisando o convite que recebeu do PV há 12 dias para mudar de partido e para se candidatar à Presidência. Garantiu que pretende dar uma resposta rápida, embora não queira definir uma data. "Estou conversando com as pessoas. Já falei com as pessoas do Acre, agora estou vendo com as do PT, partido ao qual pertenço há 30 anos", disse ela. Marina acrescentou que hoje a encanta a ideia de um projeto que tenha por tema central o desenvolvimento sustentável e o respeito ao meio ambiente como estratégia para o País.

 

Logo que chegou de Salvador, na manhã desta terça-feira, onde fora consultar o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT) a respeito do convite que recebeu do PV, Marina foi procurada por José Eduardo Dutra, atual presidente da BR Distribuída, ex-senador (SE) e candidato a presidente do PT. Dutra tentou demovê-la de sair do PT. "É um desfalque muito grande", apelou ele. Marina afirmou que está num momento de reflexão a respeito da proposta do PV, não só para ser candidata a presidente, mas para um projeto de desenvolvimento sustentável como estratégia para o País.

Tudo o que sabemos sobre:
Marina SilvaPTPVpresidência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.