Marina Silva nega dificuldades para permanecer no governo

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, evitou confirmar nesta quarta-feira se permanecerá no cargo no segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas indicou que as divergências com outras áreas do governo não serão um empecilho para isso. "A decisão de continuar ou não é de Deus em primeiro lugar, e, em segundo lugar, minha e do presidente Lula, mas ainda não conversamos sobre isso", disse a ministra a jornalistas, acrescentando que agora é hora de colher os frutos do trabalho. "Como é a primeira vez que se faz esforço de colocar o meio ambiente nas ações de outros setores de governo, é claro que se cria algum tensionamento, mas o importante é que, ao fim, os projetos são reposicionados", afirmou, após visitar as novas instalações do museu do Jardim Botânico do Rio de Janeiro. A dificuldade na concessão de licenças ambientais para projetos hidrelétricos tem sido apontada como obstáculo ao desenvolvimento do setor energético, crucial para o segundo mandato de Lula. Questionada se estaria disposta a enfrentar mais quatro anos de divergências com ministérios, como o de Minas e Energia e a Casa Civil, Marina Silva se disse preparada. "A minha vida inteira, desde que nasci, foi de tensionamentos: o primeiro foi contra a malária, para ficar viva", disse a ministra, que contraiu a doença na infância. Ela evitou fazer comentários diretos sobre a concessão de licenças ambientais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.