Marina Silva está chocada, diz Rede

Ex-senadora abandou estúdio onde gravava programa para horário eleitoral gratuito em São Paulo e foi para casa, ao saber do acidente

Nivaldo Souza , O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2014 | 13h07

Atualizado às 15h13

Brasília – Candidata a vice na chapa do presidenciável Eduardo Campos (PSB), a ex-senadora Marina Silva abandou o estúdio onde gravava programa para o horário eleitoral gratuito em São Paulo e foi para casa, ao saber do acidente envolvendo o avião de Campos, em Santos, nesta quarta-feira, 13. Segundo o coordenador da Rede Sustentabilidade, partido que Marina tenta criar, Bazileu Margarido, a candidata está em “chocada”. “Ela está na casa dela chocada”, disse ao Broadcast.

 

Margarido afirma que além de Campos, a aeronave que caiu em Santos na manhã desta quarta-feira, 13, era ocupada por assessores técnicos da campanha. De acordo com o deputado Júlio Delgado, presidente do diretório do PSB em Minas Gerais, não houve sobreviventes.

A Rede Sustentabilidade lamentou a morte do candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos. "Todos estamos chocados com a morte de Eduardo Campos, em queda de avião hoje de manhã", publicou a Rede, por meio da conta oficial do partido no Twitter. A candidata a vice de Campos, Marina Silva, segue para Santos, onde o avião caiu.

A repercussão da morte de Campos:

Vice-presidente, Michel Temer:

"Eduardo Campos era um político de princípios e valores herdados de sua família e levados com dignidade e honra por toda sua trajetória no Parlamento e no Executivo", disse. Temer afirmou estar em choque com o ocorrido. "Assim como todo o País, estou chocado com esse acidente e com as perdas para amigos e familiares. Que Deus dê conforto a seus filhos, a sua mãe, familiares e a tantos admiradores que deixou órfãos neste triste dia."

Presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros (PMDB-AL):

"É com profundo pesar que lamento a morte tão precoce e trágica do candidato do PSB à presidência da República, Eduardo Campos. Uma tragédia que deixa o Brasil chocado e surpreso. O país sofre a dor coletiva da perda de uma das mais promissoras lideranças da política brasileira. Eduardo Campos foi um homem respeitável em todos os aspectos de sua personalidade, um pai exemplar e uma referência como homem público nos cargos que exerceu. Em nome do Congresso Nacional e em meu próprio envio condolências à família, ao PSB e ao governo do Estado de Pernambuco."

Presidente interino do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski:

"Em nome pessoal e da Corte, o Ministro Lewandowski expressa o seu sentimento de pesar e presta condolências à família."

Candidato à Presidência pelo PV, Eduardo Jorge:

"Esta perda é muito triste para o País. Eduardo Campos era uma liderança muito jovem e muito importante para o Brasil. Toda minha solidariedade à família."

Ex-ministro da Fazenda do governo José Sarney Maílson da Nóbrega:

"Todos nós estamos chocados com essa tragédia. O Brasil perde um líder promissor para conduzir o destino do País em algum momento de sua trajetória. Ninguém estava preparado."

Prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB):

“Um jovem de 49 anos, um grande líder que fez tanto por tantos brasileiros e pernambucanos, que deixa uma dor que não tem como expressar nem como medir.”

Líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE):

"Nós pernambucanos sabemos o quanto ele representou em termos de qualificação da gestão. Para nós, é uma perda irreparável."

Presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, candidato ao Senado:

"O Brasil perde um grande líder, um homem público sensível, uma esperança para os que seguem acreditando no exercício da política como instrumento de fortalecimento democrático."

Ex-senador Tasso Jereissati (PSDB):

O ex-senador Tasso Jereissati (PSDB) lamentou, em nota, a morte do candidato a presidente da República pelo PSB, Eduardo Campos. “Lamento profundamente a perda de meu amigo pessoal e grande brasileiro”, afirmou o tucano em nota postada no Facebook de sua campanha a senador.

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral, José Antonio Dias Toffoli:

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), José Antonio Dias Toffoli, divulgou uma nota sobre a morte de Eduardo Campos. "Em nome do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro presidente Dias Toffoli lamenta o trágico acidente que vitimou o candidato à Presidência da República Eduardo Campos e equipe, ocorrido em Santos (SP), na manhã desta quarta-feira (13).

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.