José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Marina Silva diz que Temer 'não está em condições de governar' e pede eleições diretas

Líder da Rede diz que a sociedade deve escolher o novo governante

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

18 de maio de 2017 | 03h09

SÃO PAULO - A ex-ministra e ex-senadora Marina Silva, líder da Rede Sustentabilidade, afirmou em vídeo publicado nas redes sociais na madrugada desta quinta-feira, 18, que o presidente Michel Temer "não está em condições de governar o Brasil".

Marina diz que a crise política está se agravando "de forma dramática" e que o País está em "estado de choque" com as denúncias. "O que aconteceu é que, mais uma vez, sabotaram os fundamentos da República e da democracia."

As críticas ocorrem após a revelação de que Temer teria dado aval para que a JBS comprasse o silêncio do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), preso na Operação Lava Jato. A informação foi divulgada na quarta-feira, 17, pelo colunista do jornal O Globo Lauro Jardim. O Planalto nega a acusação.

 líder da Rede afirma, no vídeo, que o Congresso Nacional deveria aprovar a emenda à Constituição apresentada pelo deputado Miro Teixeira (Rede) que possibilita a realização de eleição direta em caso de queda de Temer - pela atual regra, a escolha do novo chefe do Executivo se daria por via indireta. "Para que a sociedade faça a escolha daquele que, com base em um programa, poderá fazer a transição neste difícil momento que estamos atravessando."

Marina descarta a possibilidade de se aguardar pela renúncia de Temer. "Não podemos ficar esperando pela consciência de quem já deixou a crise ir para o patamar em que chegou", disse.

No vídeo, a ex-ministra não faz menção ao senador Aécio Neves (PSDB), que teria sido gravado pedindo R$ 2 milhões para o empresário Joesley Batista, dono da JBS. Na eleição de 2014, Marina declarou apoio ao tucano no segundo turno.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.