Marina Silva discute Código Florestal com usineiros

A candidata do PV à sucessão presidencial, Marina Silva, reuniu-se hoje com o conselho administrativo da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), que representa 60% dos produtores de cana do País. Ela foi acompanhada no encontro pelo candidato do PV ao governo de São Paulo, Fábio Feldmann, e pelos pleiteantes a deputado federal Luciano Zica e Ana Paula Junqueira.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

27 Julho 2010 | 19h19

No encontro, foram tratadas questões como etanol, energias renováveis e Código Florestal. De acordo com a presidenciável, houve convergência em diversos pontos de reivindicação dos produtores, como, por exemplo, sobre o uso de etanol no transporte coletivo. Ela destacou que não houve avanços sobre um consenso em relação à nova proposta do Código Florestal, que tramita no Congresso Nacional.

"Recuperamos (hoje) uma agenda que foi inviabilizada por setores mais conservadores", disse Marina, referindo-se às questões ambientais discutidas no período em que foi ministra do Meio Ambiente, como, por exemplo, a questão do zoneamento do plantio de cana-de-açúcar. "O acolhimento aqui não foi hostil, eles não têm medo desta agenda".

O presidente da Unica, Marcos Jank, afirmou que a entidade tem em comum com a candidatura de Marina Silva a defesa do meio ambiente, sendo favorável ao respeito às legislações ambiental e trabalhista, ao apoio à certificação da produção e ao zoneamento que impede a expansão do setor em áreas de biomas.

O economista ponderou, contudo, que ainda não houve acordo no que diz respeito às propostas do novo Código Florestal. "Temos de voltar a esse ponto", disse, referindo-se à questão da recomposição de mata original em 20% das áreas cultivadas. "Não há por que contrapor agricultura e meio ambiente", argumentou Jank.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.