Marina retorna ao Senado para votar licença-maternidade

A candidata do PV à Presidência da República, senadora Marina Silva (AC), interrompeu a licença que havia pleiteado para se dedicar à campanha presidencial para retomar hoje o exercício do mandato e participar da votação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que amplia a licença-maternidade de 120 para 180 dias. A PEC foi aprovada em primeiro turno há cerca de um mês, antes do recesso parlamentar.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

03 de agosto de 2010 | 18h10

A matéria entrou na pauta do esforço concentrado e deve ser votada em segundo turno se o plenário atingir o quórum necessário para a apreciação das emendas. A aprovação de uma PEC depende dos votos favoráveis de 49 senadores.

"Cada vez mais a Organização Mundial de Saúde (OMS) tem encorajado países a ampliarem a licença-maternidade para assegurar à mãe e à criança uma boa saúde durante o período de aleitamento. O aleitamento materno constitui a base fundamental da saúde da criança", disse Marina. Ela deve retomar as atividades de campanha - e os preparativos para o primeiro debate entre presidenciáveis, na quinta-feira - a partir de amanhã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.