Marina recusa convite para solenidade com presidente

A senadora Marina Silva (PT-AC) recusou o convite para participar, na sexta-feira, ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da cerimônia de inauguração, em Rio Branco, de casas do projeto Minha Casa, Minha Vida, do governo federal. Marina, que deverá deixar o PT e entrar no PV para disputar a sucessão de Lula, passará a sexta-feira em Belém, onde participará de um encontro sobre jornalismo ambiental. Além de casas do projeto Minha Casa, Minha Vida, que visa à construção de 1 milhão de casas em todo o País com financiamento especial dos bancos federais, Lula inaugurará um conjunto residencial feito pelo governo do Estado. O presidente vai dormir em Rio Branco. No dia seguinte seguirá viagem para a Bolívia, onde encontrará o presidente Evo Morales e visitará, entre outros locais, uma pequena comunidade de plantadores de coca.O convite para que Marina participasse da cerimônia de inauguração das casas foi feito pelo governador do Acre, Binho Marques (PT), e não pelo governo federal. Mesmo sendo amiga de Binho, Marina disse que não poderia ir. Ela já conversou com o governador e falou do momento de reflexão pelo qual passa, já que recebeu convite para trocar de legenda e disputar a sucessão de Lula.De acordo com informação fornecida pelo Palácio do Planalto, é comum haver o convite para que todos os parlamentares de um Estado participem da inauguração de obras em cerimônias que contam com a presença do presidente da República. Marina, no entanto, não foi convidada pelo Planalto porque o próprio governador Binho Marques disse que se encarregaria dessa tarefa.Um convite de Lula a Marina poderia parecer, ainda, que o presidente estaria interessado em conversar com ela para tentar fazê-la desistir de ir para o PV e de concorrer com a candidata do presidente, Dilma Rousseff. Lula foi aconselhado a evitar esse tipo de tentativa de aproximação com a ex-ministra, pois, independentemente da resposta dela de sair ou não do PT, sempre pareceria que o presidente estaria capitulando ao procurá-la.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.