Marina quer criação de órgão para vigiar gasto olímpico

A pré-candidata do PV à Presidência da República em 2010, senadora Marina Silva (AC), defendeu hoje a criação de um órgão que fiscalize a aplicação de dinheiro público investido nas obras para a Olimpíada de 2016, na cidade do Rio de Janeiro. "São investimentos de longo prazo, que geram estruturas duradouras. É importante a criação de um órgão fiscalizador para controlar a aplicação da verba pública", salientou.

GUSTAVO URIBE, Agencia Estado

02 Outubro 2009 | 20h07

Na tarde de hoje, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, assegurou que o governo federal criará na Controladoria Geral da União (CGU) uma estrutura para fiscalização das obras.

Marina Silva alfinetou o governo federal quanto às irregularidades indicadas no início desta semana em obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o que culminou em pedido do Tribunal de Contas da União (TCU) para que 13 empreendimentos sejam paralisados.

Marina destacou que o episódio ensinou ao governo federal que a transparência nos gastos é essencial para a eficiência de uma administração pública. "Quanto mais mecanismos de controle, maior é a eficiência de um governo", afirmou.

A ex-ministra do Meio Ambiente disse estar animada com a realização de uma Olimpíada no Brasil e lembrou que o evento deve atrair investimentos internos e externos ao País. "Estou torcendo bastante para que tudo dê certo, na expectativa de que o Brasil realize seu sonho", animou-se.

"Depois da comemoração, entretanto, o governo federal deve colocar os pés no chão e fazer com que os investimentos não fiquem circunscritos apenas à Olimpíada."

Mais conteúdo sobre:
olimpíada Rio Marina Silva gastos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.