Marina quer confronto 'Silva e Rousseff' no 2º turno

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, pediu novamente hoje, em Juiz de Fora (MG), que seja eleita para o segundo turno para promover um confronto entre a "Silva e a Rousseff", numa referência a si própria e à presidenciável do PT, Dilma Rousseff. "Por isso que eu peço para chegar ao segundo turno para que, com tempo igual (no horário eleitoral), a população possa decidir tranquilamente entre a Silva e a Rousseff."

RICARDO MIRANDA, Agência Estado

28 de setembro de 2010 | 20h33

Ela defendeu ainda que, após 500 anos, o Brasil está preparado para ter uma mulher na Presidência. "Sinto que a sociedade brasileira está se mobilizando. Depois de 500 anos de história do nosso País, ela está preparada para ter uma mulher na Presidência da República. Estou pedindo ao povo brasileiro que, por uma questão de Justiça, me ajude a chegar ao segundo turno."

Marina não quis comentar qualquer hipótese de não chegar ao segundo turno e considerou os resultados das sondagens de intenção de voto diversos do sentimento das ruas. "O que encontro nas ruas é muito maior do que o que aparece nas pesquisas. As pesquisas não conseguem alcançar o que acontece nas ruas."

Marina desembarcou em Juiz de Fora no final da tarde para um encontro com representantes do Conselho de Pastores (Conpas). A cidade foi escolhida pelo deputado e candidato ao governo de Minas Gerais, José Fernando Aparecido (PV), por conta da sua importância política e econômica para o Estado.

Tratando especificamente do eleitorado mineiro, Marina fez um trocadilho com uma das músicas de sua campanha, cantada por Adriana Calcanhotto. "Tem uma música da Adriana que diz ''gente, gente, gente, Marina presidente''. Em Minas vai ser: uai, uai, uai, agora ela vai."

Críticas

Questionada quanto ao perfil do eleitorado da chamada "onda verde", Marina aproveitou para criticar seus principais adversários. Segundo ela, seu nome tornou-se alternativa para muitos petistas "incomodados com as alianças incoerentes" e para tucanos desacreditados com o "''promessômetro'' do candidato do PSDB".

Em outra investida, aproveitando o fato de estar na cidade natal do ex-presidente e candidato ao Senado Itamar Franco (PPS), MArina lembrou do início do Plano Real e atribuiu sua paternidade a Itamar. Em seguida disse que, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva deram prosseguimento à política econômica de Itamar, ela também vai dar continuidade ao Programa Bolsa Família.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.