Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Marina: PSDB e PT têm pontos vagos; nós temos programa

A candidata disse que sua meta mais importante é recuperar a credibilidade do Brasil

ALINE BRONZATI, Estadão Conteúdo

07 de setembro de 2014 | 18h21

A candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva, criticou neste domingo, 7, o fato de Aécio Neves e Dilma Rousseff ainda não terem um programa de governo. "Antes de mais nada, temos um programa. Não existe nada mais genérico do que ter apenas um conjunto de pontos e diretrizes vagas como têm Aécio Neves e Dilma Rousseff que até agora não apresentaram programa", afirmou ela, em coletiva de imprensa, realizada nesta tarde.

Segundo Marina, seu programa de governo, apesar das críticas que tem recebido, está sendo reconhecido não só pelas propostas de política econômica, mas dos setores de saúde e educação. Ela destacou que foram estabelecidas metas e que sua chapa está comprometida com controle da inflação, responsabilidade fiscal e a autonomia do Banco Central.

A candidata disse que sua meta mais importante é recuperar a credibilidade do Brasil. Segundo ela, de nada adiantará a grande quantidade de números a serem "recitados nos debates", se o Brasil não tiver credibilidade para voltar a crescer, não se dispor claramente a combater a corrupção e a um novo pacto político, no qual a governança prime pela eficiência do gasto público, citando como exemplo projetos que começam com valores de R$ 6 bilhões e chegam a R$ 20 bilhões.

Ela criticou ainda o uso dos recursos dos bancos públicos, tão importantes para o desenvolvimento econômico social do País, para uma meia dúzia de escolhidos serem campeões. E ressaltou a meta de sua chapa, de destinar 10% de recursos para saúde, 10% para educação, escola em tempo integral, nacionalização do debate da segurança pública e realização dos projetos de infraestrutura para o desenvolvimento sustentável do País. "Mais claro do que isso não há como fazê-lo." O candidato a vice, Beto Albuquerque, acrescentou ainda que ele e Marina estão "ávidos" para conhecer o programa de governo dos adversários Dilma e Aécio, que ainda não o divulgaram.

Pré-sal

Questionada sobre o fato de a palavra pré-sal ter sido utilizada apenas uma vez nas 242 páginas do seu programa de governo, Marina disse que o pré-sal é uma realidade. "Esse tema já está resolvido. Na aliança que eu e Eduardo Campos fizemos, colocamos claramente o objetivo de manter e ampliar as conquistas. Estamos comprometidos com sua exploração e o uso correto, honesto e competente dos recursos que serão gerados para a saúde e educação", afirmou ela.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.