Marina: Petrobrás está sendo destruída por uso político

Para candidata do PSB, estatal é exemplo do tratamento das prioridades e das conquistas do povo como favores a grupos "poderosos"

ALINE BRONZATI, Estadão Conteúdo

07 de setembro de 2014 | 15h58

A candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, afirmou neste domingo, 7, que a Petrobrás está sendo destruída pelo uso político, o apadrinhamento e corrupção. Segundo ela, a petrolífera é exemplo do tratamento das prioridades e das conquistas do povo como favores a grupos "poderosos". Com isso, a nação fica cativa de interesses e de uma impressionante teia de protegidos e cúmplices no assalto aos bens públicos.

"Na campanha eleitoral, sou caluniada e acusada de ser contra esse patrimônio do Brasil. Enquanto essa mentira é alardeada por todos os meios, a Petrobras é destruída pelo uso político, o apadrinhamento e a corrupção", disse Marina, em coletiva de imprensa, em São Paulo.

Segundo ela, o Brasil vive um momento histórico, onde o País pode avançar em independência, encerrando e mandando para os arquivos da história o comportamento coronelista e patrimonialista que ainda se mantém no sistema político no Brasil. "Chegou a hora de aposentar aqueles que querem estar no poder a qualquer preço e mancham com a ilegitimidade da mentira e da manipulação as instituições democráticas e até as eleições", afirmou Marina.

A sociedade brasileira pode, conforme ela, livrar o Brasil da corrupção, do loteamento de cargos, da apropriação indevida das instituições públicas e do uso de meios oficiais para caluniar e destruir adversários políticos. Ela ainda defendeu que a exploração do pré-sal, da mesma forma, seja feita com responsabilidade e competência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.