Marina obteve 19,33% em 2010

Ao estrear na disputa presidencial em 2010, como candidata do PV, Marina Silva obteve seu melhor desempenho na região Sudeste, nas capitais e cidades vizinhas e nos municípios do interior com mais de 100 mil habitantes. Estudos mostraram depois que a mancha do eleitorado da ex-ministra do Meio Ambiente também coincidia com as regiões de maior concentração de evangélicos como Marina.

O Estado de S.Paulo

18 de agosto de 2014 | 02h05

Reproduzir e ampliar essa votação será o novo desafio da ex-ministra para chegar ao segundo turno. Quatro anos atrás, Marina terminou a corrida presidencial na terceira posição, com 19,33%, atrás da petista Dilma Rousseff (46,91%) e do tucano José Serra (32,61%).

O mapa ao lado, produzido pelo Estadão Dados e publicado em 7 de outubro de 2010 pelo Estado, mostra os 1.003 municípios que deram a Marina 83% de seus 19.636.359 votos. A maior parte desses sufrágios saiu do Sudeste, em especial do Estado do Rio de Janeiro, onde a então candidata do PV chegou a superar a votação de Serra (31,52% para ela e 22,53% para ele do total de votos válidos). O Sudeste é a região do País que concentrava metade dos eleitores evangélicos brasileiros em 2010, segundo pesquisa Ibope realizada naquela campanha. Parte significativa desse contingente está nos municípios fluminenses.

Em compensação, Marina obteve desempenho abaixo de sua média no Sul e no Nordeste, regiões do Brasil com menor concentração de evangélicos. Nos Estados dessas duas áreas, a candidata do PV em 2010 praticamente só obteve mais de 15% dos votos válidos nas capitais.

Outro destaque da votação de Marina foi o Distrito Federal, no qual a ex-ministra ficou em primeiro lugar na votação de 3 de outubro, com 41,96% dos votos válidos.

Depois de Brasília, a cidade onde a ex-ministra obteve melhor desempenho foi a capital mineira. Em Belo Horizonte, Marina terminou a votação com 40% dos votos válidos. Na sequência das cidades em que a candidata do PV obteve melhor desempenho em 2010 estão três municípios capixabas: Serra (39% dos votos válidos), Vila Velha e Vitória, ambas com 38%.

Se for bem sucedida em elevar o porcentual de votos na comparação com 2010, independentemente de chegar ou não ao segundo turno, Marina registrará um feito inédito: nenhum terceiro colocado em disputa presidencial desde 1989 melhorou o desempenho na eleição seguinte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.