Marina não representa modernização, afirma Rui Falcão

O presidente do PT, Rui Falcão, afirmou na noite desta terça-feira, 13, que a ex-senadora Marina Silva, que tem aparecido em empate técnico num eventual segundo turno com a presidente Dilma Rousseff na preferência dos eleitores, não representa nenhuma modernização da política, minutos antes do ato que o lançou candidato à reeleição. Falcão acha que ela não terá condições de competitividade e que a disputa será polarizada com o PSDB. "Não vejo nenhuma modernização quando você quer deixar partidos e políticos de lado", afirmou ele. Logo em seguida, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que Dilma já está reeleita e que isto incomoda uma "parte da sociedade elitista brasileira".

JOÃO DOMINGOS E LEONENCIO NOSSA, Agência Estado

14 de agosto de 2013 | 00h06

Para uma plateia de petistas que lotou o Auditório Petronio Portela, do Senado, em evento no qual Falcão lançou a sua candidatura à reeleição ao comando do PT, tanto Lula quanto o presidente da sigla atacaram a mídia que, segundo eles, tenta destruir o PT. Lula disse que nos dois anos e meio de governo Dilma os meios de comunicação publicaram "inverdades" e disseminaram "preconceitos ofensivos e desrespeitosos" sobre o governo. Mas, segundo ele, o PT tem dado demonstração de grandeza. Lula disse ainda que o PT não tem de dar atenção aos formadores de opinião, que costumam criticar as políticas do partido.

Rui Falcão afirmou que, se reeleito, vai lutar pela democratização dos meios de comunicação, uma bandeira do PT. Mas, segundo ele, não pregará censura nem controle de conteúdo. "Temos é de regulamentar o artigo da Constituição que impede a formação de monopólios e oligopólios na comunicação". Ele afirmou que durante os protestos de rua ocorridos em junho, os manifestantes também exigiram o fim do monopólio na comunicação, "com gestos e atos".

Erros e deslizes.

Rui Falcão e Lula reconheceram que o PT cometeu erros e deslizes, como os que resultaram no mensalão, chamado por eles de Ação Penal 470. Mas, segundo Lula, o partido é grande. "Tão grande que depois de tentarem massacrar a gente, de tentar destruir a gente com infâmias, cada vez que fazem uma pesquisa, o partido que mais tem credibilidade no Brasil é o PT. Eles criticam o Lula achando que criticando o Lula vão destruir o PT, criticam a Dilma, o Rui Falcão, os deputados federais, achando que vão destruir o PT. Mas não se dão conta de que o PT é muito maior do que 80 deputados".

Tudo o que sabemos sobre:
Rui Falcãoreeleiçãoconsolida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.