Marina lamenta debate polarizado entre Dilma e Serra

Candidata do PV afirmou que, para as redes sociais, ela foi a vencedora do primeiro encontro

Daiene Cardoso, da Agência Estado,

06 de agosto de 2010 | 12h44

SÃO PAULO - A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, lamentou nesta sexta-feira, 6, em São Paulo, que o primeiro debate entre os candidatos tenha sido polarizado entre os adversários José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). Para ela, "ficou claro" o quadro de oposição e situação e a indisponibilidade para o diálogo. "Na prática, o que ficou claro ali foi o confronto", avaliou. Marina afirmou que, para as redes sociais, ela foi a vencedora do primeiro debate porque o telespectador pôde ver "que ali tinha alguém que queria, sinceramente, debater".

No entanto, Marina reconheceu que teve poucas oportunidades de se expor por causa da polarização, mas que a cabe à sociedade "quebrar" essa concentração no debate. "A sociedade vai quebrar essa polarização." A candidata lamentou as ironias do candidato do PSOL, Plínio de Arruda Sampaio, que a chamou "ecocapitalista" e de "Pollyana", personagem do livro homônimo da autora Eleanor Porter, que conta a história da menina que, aos 11 anos, é capaz de ficar feliz até nos piores momentos.

A candidata disse que cumpriu o papel de respeitar o eleitor durante o debate e classificou a atitude de Plínio como tentativa de rotular os candidatos. "Isso não me atinge. Não me preocupo com rótulos e sim com o mérito das questões." A candidata negou que estivesse nervosa no primeiro debate eleitoral nacional do qual participou. "Estava serena, tranquila, olhando para as pessoas como pessoas e não como adversária que tinha de destruir para sair com vencedora", disse. Ela evitou julgar o desempenho dos adversários.

Vice. O candidato a vice-presidente na chapa, Guilherme Leal (PV), elogiou o desempenho de Marina e admitiu que houve "tensão" entre os coordenadores da campanha verde antes do programa. "Antes tinha o nervosismo mesmo, é natural. Foi um alívio senti-la (Marina) bem. Ela estava muito bem", avaliou. "Não tenho dúvida de que essa experiência só aumenta a confiança dela nela mesmo."

Marina participou hoje de um evento de assinatura de termo de compromisso com o Pacto pela Juventude, documento produzido pelo Conselho Nacional de Juventude, em que apresenta propostas de políticas públicas para essa faixa da sociedade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.