Marina: eventual saída de Lula reflete insegurança com Dilma

De acordo com edição desta quinta de 'O Globo', presidente pensa em se licenciar em agosto e setembro

Alfredo Junqueira, de O Estado de S.Paulo,

04 de março de 2010 | 17h14

A senadora e pré-candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, interpretou a possível licença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva do cargo para se dedicar à campanha da ministra Dilma Rousseff como reflexo de insegurança em relação ao desempenho da futura candidata do PT. A notícia de que Lula pensa em se licenciar nos meses de agosto e setembro para fazer campanha para Dilma foi publicada na edição desta quinta-feira, 4, pelo jornal O Globo.

 

Veja Também

linkSarney rechaça hipótese de licença de Lula

linkLula pode se licenciar para ajudar Dilma

 

Ao chegar no Rio, onde cumprirá extensa agenda de compromissos políticos até domingo, Marina afirmou que a máquina do Estado está sendo usada pelos demais pré-candidatos à Presidência. A senadora atribuiu a subida de Dilma nas pesquisas ao esforço de quase três anos do presidente Lula para construir a candidatura da ministra.

 

A atuação do presidente e da ministra foi criticada pela pré-candidata do PV. "Liderar um país como o Brasil na Presidência da República requer uma afirmação dos postulantes a essa liderança e isso não é algo que se possa deixar para depois de ganhar as eleições. O momento de ganhar as eleições também é o momento da afirmação dessa liderança. Se isso se confirma (a licença de Lula), talvez seja uma certa insegurança com o processo político", afirmou Marina pouco antes de iniciar um debate sobre o setor energético e a transição para a economia do baixo carbono.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.