Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Marina diz que decide ‘em breve’ sobre eleição

Ex-ministra afirma que ainda analisa se vale a pena disputar a eleição em 2018, sabendo que os prováveis concorrentes terão mais tempo, dinheiro e estrutura para a campanha

Célia Bretas Tahan, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

25 Novembro 2017 | 05h00

PALMAS - A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (Rede), candidata à Presidência da República em 2010 e 2014, afirmou nesta sexta-feira, 24, em Palmas, que ainda analisa se vale a pena disputar a eleição em 2018, sabendo que os prováveis concorrentes terão mais tempo, dinheiro e estrutura para a campanha. “Nosso tempo é de 12 segundos”, disse Marina, afirmando que decidirá “em breve” sobre o assunto. 

Marina esteve em Palmas para participar do lançamento da candidatura ao governo do Tocantins do ex-juiz Márlon Reis, um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa, pela Rede. 

+++Temer negocia frente de siglas para disputa de 2018

+++Huck não se pronunciará formalmente sobre candidatura

Em coletiva, tanto Marina quanto Reis deixaram aberta a possibilidade de firmarem alianças com outros partidos, com a ressalva de que as composições não seriam “fisiológicas”. O ex-juiz ressaltou que descarta qualquer acordo com envolvidos em casos de corrupção. “Mesmo porque seria incoerente.” 

+++Candidaturas de ‘outsiders’ ficam sob suspense

Ao comentar a pesquisa Barômetro Político Estadão-Ipsos, que mostrou 60% de aprovação ao apresentador de TV Luciano Huck, Marina disse que haverá muitas mudanças até a definição final sobre quem será ou não candidato. “O mais importante é que não aconteça o mesmo que em 2014, quando quem ganhou foi a fraude, com dinheiro roubado da Petrobrás, Caixa Econômica e Banco do Brasil.” 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.