Marina diz que briga por programas sociais demonstra 'insegurança'

Candidata também foi irônica ao comentar troca de ultima hora feita pelo PT no programa enviado ao TSE

Carolina Freitas, da Agência Estado / SÃO PAULO

07 Julho 2010 | 13h05

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, procurou demonstrar distanciamento da disputa travada entre petistas e tucanos pela paternidade de programas sociais. Para a candidata do PV, o comportamento dos candidatos José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) demonstra "insegurança".

 

Para Marina, projeto que altera Código Florestal é 'grande retrocesso'

Especial: candidatos já deram 6,3 voltas ao redor da Terra

Veja página especial de Marina Silva

 

"Quando se tem um compromisso visceral com o combate à pobreza, como tem o presidente Lula e como eu tenho, você não precisa ficar lutando pela maternidade ou paternidade. O compromisso com o combate à pobreza é algo que se tem no DNA. É por isso que eu não faço essa concorrência", disse Marina. A candidata prometeu que, se eleita, manterá e aperfeiçoará o programa de transferência de renda Bolsa-Família.

 

Programa do PT

 

Ao ser questionada sobre as alterações de última hora feitas por Dilma no programa de governo enviado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Marina até tentou evitar a polêmica, mas não dispensou a ironia ao responder aos repórteres. "É um momento de cada candidato afirmar o seu programa. Eu prefiro falar do que eu, conscientemente, assinei em baixo e sabia que estava enviando como plataforma."

 

A candidata verde classificou ainda como "preocupante" o fato de candidatos assumirem compromissos que não conseguem sustentar. "Nessa campanha, isso acontece muito. Os que estão dizendo agora que vão fazer isenção de impostos são os mesmos que ficaram e não fizeram durante os últimos 16 anos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.