Marina defende transparência em gastos com obras

Em sabatina promovida pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), na capital paulista, a candidata do PV à sucessão presidencial, Marina Silva, defendeu hoje um modelo de acompanhamento em tempo real das obras em execução pelo governo federal.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

09 de agosto de 2010 | 19h56

De acordo com a presidenciável, é preciso que os gastos sejam divulgados durante a construção. "E não depois que a obra foi realizada e que o gasto foi feito de forma inadequada", afirmou.

Marina deu como exemplo o sistema de acompanhamento do desmatamento na Amazônia, implantado durante sua gestão como ministra do Meio Ambiente. Ela lembrou que essa divulgação era feita anualmente, mas agora as pessoas podem acompanhar o desmatamento diariamente.

Durante o evento, a candidata rebateu a ideia de que um governo sem corrupção é utopia. Marina comparou a viabilidade da proposta de acabar com a corrupção às dúvidas sobre o fim do apartheid, sistema de segregação racial que vigorou na África do Sul de 1948 a 1990.

"O importante é que existem pessoas que acreditam nisso (no fim da corrupção)", disse. "Isso é uma construção histórica que a gente não pode desistir (de combatê-la)", acrescentou. A presidenciável também comparou a defesa pela transparência e eficiência do Estado ao combate à ditadura militar. "As pessoas acreditaram e reconstruíram a democracia", avaliou.

Mudança

A candidata argumentou que o processo de mudança e as reformas necessárias para tornar o Estado mais eficiente "não são fáceis de serem feitas", mas sugeriu que o primeiro passo seria a eleição de candidatos comprometidos com tais reformas (tributária, política e trabalhistas).

"Devemos trabalhar para que as pessoas elejam aqueles que são comprometidos em realizar as reformas." Em termos de transparência, Marina ainda não tem revelado quem são os doadores de sua campanha, mas disse que o fará na hora da prestação de contas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). "Toda a minha contribuição será com um único caixa, de forma transparente, tudo será declarado com absoluta lisura", assegurou a candidata, que hoje lançou seu sistema de arrecadação online.

PAC

Na sabatina da ACSP, na qual mais cedo participaram os candidatos Plínio de Arruda Sampaio (Psol) e José Serra (PSDB), Marina defendeu um planejamento estratégico para obras de infraestrutura que supere o que é realizado hoje pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

A candidata do PV mostrou-se favorável ainda à realização da reforma agrária, da transposição do Rio São Francisco e da construção de hidrelétricas como as do Rio Madeira, que tiveram a concessão aprovada durante a sua gestão como ministra. "Os projetos de infraestrutura são importantes, temos um potencial que não podemos dispensar", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.