Marina defende limite no avanço dos gastos públicos

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, defendeu hoje a adoção de uma política progressiva de ajuste fiscal. Em palestra para empreendedores e empresários na capital paulista, a candidata defendeu a limitação do avanço dos gastos públicos em metade do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). "O que estamos defendendo é limitar o aumento do gasto público à metade do crescimento do PIB. Se você faz essa limitação, se evita o desequilíbrio fiscal", afirmou Marina.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

31 de agosto de 2010 | 14h02

Segundo a candidata, o País não pode abrir mão de investimentos estratégicos, mas precisa fechar "o dreno da corrupção" e evitar o desperdício, além de eliminar o fisiologismo na composição do futuro governo. "Acho que a gente tem de buscar o equilíbrio das contas públicas e obviamente que o Brasil tem muitos investimentos a serem feitos, mas temos que olhar para a eficiência do gasto público", disse Marina.

Durante aproximadamente uma hora de evento, promovido pelo Instituto Endeavor, Marina respondeu a perguntas dos empresários e empreendedores, defendeu o fim da burocracia nos negócios, a simplificação dos tributos e a adoção da educação financeira nas escolas públicas. O evento foi transmitido ao vivo pela internet pelo site do instituto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.