Marina critica posição brasileira na questão iraniana

A pré-candidata à Presidência da República Marina Silva (PV) criticou hoje a posição brasileira na questão nuclear com o Irã. Ao contrário do que prega o governo brasileiro, a senadora disse considerar que o presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad tem a intenção de construir a bomba atômica.

DENISE MADUEÑO, Agência Estado

25 Maio 2010 | 18h33

"Temos de ficar bastante atentos porque, na prática, o que eles querem (governo do Irã), no meu entendimento, é fazer a bomba atômica. E estão tomando medidas protelatórias para ganhar tempo. E, obviamente, o Brasil, tendo uma cultura de paz, não pode compactuar com esse tipo de coisa", disse Marina, em entrevista, após participar do Encontro com os presidenciáveis promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Ela disse ver com preocupação a relação do Brasil com o Irã. "Temos que ter muito cuidado para não dar audiência a um governante que não respeita direitos humanos, que tem presos políticos, nega o holocausto, uma série de questões que são inaceitáveis", afirmou. "O Brasil é a única democracia ocidental que está dando audiência para o Ahmadinejad", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.