Marina: criamos 1º partido clandestino da democracia

A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva destacou neste sábado, 05, em seu discurso, durante o evento em que formalizou aliança com o PSB, que o Rede Sustentabilidade é o "primeiro partido clandestino criado em plena democracia".

DÉBORA ÁLVARES E RICARDO DELLA COLETTA, Agência Estado

05 Outubro 2013 | 16h44

A ex-ministra disse que não se sente derrotada com a decisão da Justiça Eleitoral que negou à Rede o registro. "A derrota ou a vitória só se mede na história. Apressam-se aquele que pensam que a história se resolve em uma canetada.", afirmou logo no início de sua fala para um auditório lotado em um hotel de Brasília.

Ela destacou que a Rede já é um partido do ponto de vista político e programático. "Mesmo já tendo a chancela da sociedade, de um registro moral, de que de fato somos um partido político, nos foi cassado o direito de nos constituirmos como tal".

Marina destacou que vários de seus apoiadores lhe perguntavam sobre um plano B, mas que ela nunca lhes deu essa resposta. A parceira entre Eduardo Campos e Marina foi acertada na noite de sexta-feira, 04, em uma reunião na casa da ex-ministra.

Mais conteúdo sobre:
Eduardo CamposMarina Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.