Marina: corte em emendas pode compensar reajuste

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, sugeriu hoje que os recursos necessários ao Orçamento da União para complementar o reajuste de 7,7% dado aos aposentados seja retirado de emendas parlamentares. "As emendas poderiam ser cortadas, até porque, se os parlamentares concordaram com o reajuste, obviamente é porque tem lugar para cortar. Seria um gesto para transformar um manifesto político em coerência prática", disse.

ANA CONCEIÇÃO, Agência Estado

16 de junho de 2010 | 14h43

O reajuste para aposentados que ganham acima de um salário mínimo foi sancionado ontem pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Cálculos do governo dão conta de que a elevação das aposentadorias vai custar R$ 1,6 bilhão aos cofres da União em 2010.

Marina evitou classificar o reajuste como "eleitoreiro", dizendo que é justo que os aposentados tenham esse reforço no orçamento. Segundo ela, o que deveria mudar é a forma de repor as perdas dos aposentados. "Todos os anos discutimos o mesmo assunto. É preciso mudar a forma como isso é feito."

As declarações da presidenciável foram dadas em entrevista após a sabatina realizada hoje pelo jornal "Folha de S.Paulo" e pelo portal UOL, em que a senadora respondeu a perguntas de jornalistas e de eleitores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.