Marina cita pororoca e aposta em 'virada'

Ao comentar o resultado das últimas pesquisas de intenção de voto, a candidata do PV, Marina Silva, disse que a polarização entre José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) está quebrada, falou sobre a "pororoca" e citou o escritor e poeta francês Victor Hugo.

JULIA DUAILIBI, Agência Estado

25 Julho 2010 | 09h17

"A pesquisa é um momento registrado pelos institutos, mas existe outro no mundo real, que é a mobilização feita pela sociedade", disse. Questionada, então, sobre a polarização entre Serra e Dilma, completou: "Essa dicotomia já foi quebrada. Conseguimos reverter muitas coisas. As propostas passaram a ser debatidas, antes era apenas a disputa entre currículo e história".

Segundo as pesquisas Vox Populi e Datafolha, divulgadas sexta e sábado, respectivamente, Marina continua no terceiro lugar na corrida, variando entre 8% e 10% das intenções de voto.

Indagada sobre o curto espaço de tempo para reverter o quadro até a eleição, Marina citou Victor Hugo: "Nada é mais potente que uma ideia cujo tempo chegou". "Você acha que a pororoca não se forma rapidamente quando as águas se juntam? Isso é um encontro de muitas águas de muitas nascentes da boa política desse País", declarou ao sair de um café na zona oeste paulistana.

Marina disse já ter tido "decepção" com pesquisas no passado e afirmou acreditar que a mobilização da sociedade pode fazer uma "virada". Criticou mais uma vez os adversários por não irem a debate da internet semana que vem. Disse que querem produzir um "anonimato eleitoral". "Vou levar um bóton com duas cadeiras vazias", brincou a candidata. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
Eleição Marina Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.