Marina anuncia exoneração de dois assessores

A candidata do PV à Presidência, Marina Silva, anunciou ontem, em nota emitida pelo comando de sua campanha, a exoneração da assessora Jane Maria Villas Boas. Funcionária do Senado, ela participou na quinta-feira em Bauru de evento da agenda oficial da candidata. Além de Jane, o assessor Pedro Ivo de Souza Batista foi exonerado "preventivamente".

AE, Agência Estado

31 de julho de 2010 | 09h47

O comunicado, assinado pelo coordenador da campanha, João Paulo Capobianco, diz que Jane e Batista estão em período de recesso parlamentar (que começou no dia 17 e vai até segunda-feira), o que libera a participação deles em qualquer outra atividade, "inclusive as de cunho político-eleitoral".

Reportagem do jornal O Estado de S.Paulo na quarta-feira mostrou que uma tropa de cabos eleitorais pagos pelo Senado está trabalhando na campanha dos senadores candidatos. São assessores que, oficialmente, deveriam apenas cumprir expediente nos gabinetes, mas estão nas ruas pedindo voto, coordenando e ajudando na corrida eleitoral dos parlamentares.

"Apesar de ambos (Jane e Batista) estarem, portanto, em condição regular do ponto de vista funcional e legal, os dois servidores serão exonerados imediatamente", assinala a nota da campanha de Marina. A nota explica que o pedido de exoneração já havia sido providenciado, mas ainda não teria sido publicado no Diário Oficial.

O comunicado diz também que Marina se licenciou de funções no Senado para não "misturar" o mandato parlamentar com atividades partidárias. Informa ainda que ela exonerou em junho os assessores parlamentares Bazileu Alves Margarido e Carlos Antônio Rocha Vicente para que eles se dedicassem à campanha eleitoral. Assim como Margarido e Vicente, Jane e Batista passarão a se dedicar exclusivamente à campanha. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoMarina SilvaSenadocampanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.