Marina afirma que 'arapongagens' devem ser punidas duramente

Presidenciável disse que não quer ter informações que 'não possa justificar publicamente'

Tatiana Fávaro, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2010 | 15h05

A senadora Marina Silva, candidata do PV à Presidência da República, criticou na tarde deste sábado, 12, o suposto dossiê elaborado pelo PT contra lideranças tucanas e disse que "arapongagens" devem ser duramente punidas.

 

"Eu não gostaria de ver estas eleições resvalarem para ferir direitos. Direitos do cidadão. Qualquer pessoa que faça arapongagem, investigação paralela, ferindo o estado democrático de direito, deve no meu entendimento ser duramente punido pela sociedade brasileira', afirmou Marina. "Eu não quero nenhuma informação que não possa publicamente justificar como foi que consegui."

 

Marina foi apresentada como candidata a presidente aos militantes do PV de Itu, no interior de São Paulo, e à juventude do partido na manha deste sábado. A candidata, que tem utilizado o Twitter para se comunicar com os eleitores, disse que vai suprir o pouco tempo de propaganda em TV que lhe cabe pelas mídias sociais.

 

"Estamos usando e vamos usar cada vez mais a internet como forma de superar essa dificuldade", disse a candidata.

 

Sem medo. Sobre a polarização das eleições entre PT e PSDB, Marina disse que sua candidatura será uma opção para a esperança. "O Brasil que aprendeu a não ter medo de ser feliz não terá mais medo de ter um Silva na Presidência", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Marina SilvadossiePT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.